Minha Conta

CPF: Senha:

Carta Viva

Colunas

Berenice Verônica de Jesus e o corpo de Cristo

 Ainda nos dias de hoje, assuntos que dizem respeito à intimidade das pessoas podem ser muito constrangedores. Todavia, as Escrituras Sagradas não se omitiram em discutir certos assuntos. Lembre-se da situação da chamada mulher do fluxo de sangue, a quem eu chamo de Berenice. Talvez por isso, Mateus descreva o assunto sem maiores detalhes, enquanto o Evangelho de Marcos tem a coragem de informar o quanto tempo a mulher sofria com tais problemas. No entanto, mesmo na tentativa de abordar o tema de forma discreta, a verdade é que ele se tornou público.

Vejo a mulher que sofria há tanto tempo com aquela enfermidade, tendo que superar seus medos, pelo desespero em que se encontrava, rompendo a segunda barreira – a primeira, de procurar ajuda médica, o que já é um tormento para muitos de nós quando o assunto envolve nossas intimidades - , indo até Jesus publicamente.
Se era pra Jesus ser mais discreto, não o foi. QUEM ME TOCOU? Perguntou o Mestre. Uma multidão o cercava e mil assuntos poderiam se destacar naquele momento, até porque ocorreram vários acontecimentos importantes naqueles dias ou horas. Mas Jesus resolveu publicar aquela situação na primeira página do jornal.
O visível constrangimento dessa mulher tinha razão de ser, mas Jesus queria lhe dar vestes de louvor ao invés de um espírito angustiado. E Ele achou necessário parar uma multidão para que pudesse fazê-lo. 
Há pessoas escondendo verdadeiras hemorragias em suas vidas, temendo a publicação de suas intimidades.  São números imprecisos no meio de multidões. Nelas, Jesus pode ser até apertado, espremido, porém, nem sempre é tocado, porque as pessoas não querem se expor.
Quanta dificuldade há de procurar ajuda, usando de toda forma de expedientes para alcançar seus objetivos, sem recorrer a Cristo. E mesmo quando recorrem, buscam fazê-lo furtivamente, sem conhecimento dos irmãos, até dos mais próximos.
Isso tem razão de ser? Sim, infelizmente tem. Por vezes, a hipocrisia de um grupo impede que alguém seja restaurado. Porém, Jesus não expôs somente aquela mulher, mas o próprio agrupamento social do qual ela fazia parte que não se deu conta do problema daquela mulher.
No contexto espiritual em que vivemos, o corpo de Jesus é a Igreja. Os indivíduos precisam deixar de lado a timidez, o medo, a desconfiança, o espírito crítico, superar as suas individualidades, peculiaridades e razões para, OUSADA e CONFIADAMENTE, se achegarem ao trono da Graça a fim de receber misericórdia e achar graça para socorro em ocasião oportuna (Hebreus 4:16).
Corpo fala de compromisso. De constranger e ser constrangido. De tocar e ser tocado.Tenho crido na cura, na libertação física, espiritual e emocional, por meio do Corpo, o Corpo de Cristo. O grupo tem de lutar para não gerar indivíduos e os indivíduos devem lutar para ser Corpo, afinal, há muitos irmãos, que ainda que estejam aparentemente presentes, sentem-se afastados da comunhão, que é o lugar onde Deus ordena a bênção e a vida para sempre (Salmo 133:3).
 
Paz! 
Humberto Sérgio N. Seara – pastor conselheiro do Ministério Sal da Terra
Fale com ele: humbertosergio@saldaterrane.org