Minha Conta

CPF: Senha:

Veja e ouça

Estudos

Corpo Vivo - casa espiritual

 Ordem – CORPO VIVO – CASA ESPIRITUAL.

 

11ª Semana: ORGANISMO.

 

Organismo = Disposição dos órgãos nos seres vivos.

 

1º Dia – Há um só Corpo e um só Espírito.

Efésios 4:4-6 – “há só um Corpo e um só Espírito, como também vocês foram chamados em uma só Esperança da sua Vocação; há um só Senhor, uma só Fé, um só Batismo; um só Deus e Pai de todos, O qual é sobre todos, age por meio de todos e está em todos”.

 

O que confere identidade ao corpo é a consciência da sua Unidade e Propósito. Temos a mente de Cristo, Ele é o Cabeça do Corpo, Seu Espírito é Quem testifica a respeito de quem e para quem somos. Cristo não está dividido. Logo, qualquer forma de divisão ou facção não pode ser a expressão de Quem Cristo é. Não se pode pensar na Igreja como um conjunto de partes de naturezas distintas justapostas segundo uma estrutura, necessidade ou conveniência. A Igreja – expressão viva da Identidade de Cristo é um Organismo Vivo, onde todas as partes têm a mesma natureza, pois se desenvolveram a partir de uma única célula (semente), segundo uma orientação única. Cada uma das partes do Corpo está bem ajustada e consolidada através de juntas e ligaduras, e tem uma função específica para benefício comum, e não apenas individual.

 

Para reflexão: Em que um robô difere de um ser humano, já que poderiam ter a mesma aparência e estrutura?

 

2º Dia – Todo esforço na preservação da Unidade.

Efésios 4:1-3 – “andeis de modo digno da vocação, à qual fostes chamados, com toda humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em Amor, empenhando todo esforço na preservação da Unidade do Espírito no vínculo da Paz”.

 

Uma vez que temos a consciência de Quem é Cristo, e de quem somos Nele, o nosso esforço deve ser produzir um testemunho incontestável desta Unidade do Espírito. Quem estimula divisões, que faz as coisas por partidarismo ou na tentativa de produzir reconhecimento próprio, não pode estar identificado com Cristo. Ele mesmo disse que a expressão da Unidade testemunharia da Glória de Deus em nós, e nos identificaria como sendo Seus verdadeiros discípulos. Se, quisermos de fato viver em Unidade, então, temos que nos agendar e priorizar. Não podemos nos acomodar aos nossos desejos e impulsos naturais, pois são contrários às intenções do Espírito Santo.

 

3º Dia – Muitos membros.

Romanos 12:13-27 – “Os dons são diversos, mas o Espírito é o mesmo. E também há diversidade de serviços, mas o Senhor é o mesmo. E a diversidade de realizações, mas o mesmo Deus é Quem opera tudo em todos. Um só e o mesmo Espírito realiza todas estas coisas, distribuindo-as, como Lhe apraz, a cada um, individualmente. O Corpo não é um só membro, mas muitos. Deus dispôs os membros, colocando cada um deles no Corpo, como Lhe aprouve. O certo é que há muitos membros, mas um só Corpo. Para que não haja divisão no Corpo; pelo contrário, cooperem os membros, como mesmo cuidado, em favor uns dos outros. Ora, vocês são Corpo de Cristo, e individualmente membros uns dos outros”.

 

Liberar e promover a Diversidade no Corpo de Cristo é um dos maiores desafios na vida Igreja. Estamos sempre sendo tentados à padronização e regulamentação das formas e expressões. Pois, isso nos dá uma certa sensação de segurança e tranqüilidade. É uma das formas que encontramos de exercer controle sobre os outros, impondo sobre eles nossos estilos e métodos. A ordem do Espírito é a diversidade para que a Multiforme Sabedoria de Deus possa ser revelada através da Igreja. O segredo para que esta diversidade não se transforme em divergência é a submissão mútua e o empenho na edificação comum.

 

Para reflexão: É possível encontrar na criação outros exemplos claros de Unidade e Diversidade?

 

4º Dia – A Multiforme Sabedoria de Deus.

Efésios 3:10-12 – “para que, pela Igreja, a Multiforme Sabedoria de Deus se torne conhecida, agora, de principados e potestades nos lugares celestiais, segundo o Eterno Propósito de Deus em Cristo Jesus, nosso Senhor, em Quem temos ousadia e acesso com confiança, mediante a Fé Nele”.

 

As Virtudes de Deus estão reveladas na diversidade de formas, cores, aromas e sons com que povoou, coloriu, perfumou e sonorizou a criação. Indo mais além, ainda estabeleceu para cada espécie a sua variedade, e para cada cor, aroma e som as suas tonalidades. Tentar restringir Sua Identidade, Ação e Expressão aos limites da nossa percepção simplória, nos torna míopes de entendimento, enxergando só o que está perto. Condenados à mediocridade do que é apenas óbvio. Não há como discernir o que Deus quer revelar de si mesmo, sem a disposição para a harmonia dos relacionamentos, em especial com os diferentes. Aceitar o desafio de vencer a distância que nos separa uns dos outros. Remover o muro de separação que Cristo destruiu na cruz, mas que tantas vezes insistimos em reconstruir, como forma de nos protegermos.

 

Para reflexão: Identifique aspectos da Natureza de Deus revelados na diversidade da sua comunidade.

5º Dia – O Espírito de Deus se movia.

Gênesis 1:1-2 – “No princípio, criou Deus os céus e a terra. A terra, porém, era sem forma e vazia; havia trevas na face do abismo, e o Espírito de Deus se movia sobre a superfície das águas”.

 

A primeira característica descrita do Espírito de Deus é que Ele é um Espírito em movimento. Ele é o Espírito do próprio Deus que se movimenta por conta própria. Este é o mesmo Espírito que define a Identidade do Corpo Vivo de Cristo, a Igreja. Portanto, ela é por natureza um Corpo em constante movimento. Este aspecto da sua natureza está revelado nas palavras que Deus lhe dirige em momentos distintos da sua história. Por exemplo:

                - O chamado de Deus a Abraão, que é o pai de todos os que viriam a crer: “Sai da tua terra, do meio da tua parentela e vai para um lugar que Eu te mostrarei”.

                - A ordem de Cristo para os discípulos, ao se despedir deles: “Ide por todo o mundo e fazei discípulos”.

                - A promessa de Cristo à Igreja: “Receberão poder ao descer sobre vocês o Espírito Santo, e serão minhas testemunhas em Jerusalém, Judéia, Samaria e até os confins da terra”.

A Mobilidade é, portanto uma das características marcantes da Igreja de Cristo. Sua estrutura funcional não pode ser rígida ou estática, impedindo que se movimente segundo a Vontade do Espírito de Deus que está nela, mas deve permitir que se movimente com toda facilidade e liberdade. Não precisa ser movimentada ou carregada por ninguém, como os ídolos feitos pela mão do homem, que não se movem. Para preservar sua Mobilidade a Igreja só tem que ser sensível à voz do Espírito Santo, sendo esta a única voz que define e dirige seu destino.

 

Para reflexão: Como podemos definir Movimento na Igreja e da Igreja?

 

6º Dia – Pelo auxílio de toda Junta e Ligadura.

Efésios 4:15 – “de Quem todo o Corpo, bem ajustado pelo auxílio de toda junta e ligadura, segundo a justa cooperação de cada parte, efetua o seu próprio aumento para a edificação de si mesmo em Amor”.

 

Quando uma estrutura dinâmica se movimenta, sofre as tensões e esforços próprios deste movimento. Se, tentarmos movimentar uma estrutura rígida e estática, ela não suportará estes esforços e acabará se rompendo. Na medida em que transformamos nossa visão da Igreja numa coisa inerte e sem vida, mais identificada com o “imóvel” do que com as pessoas e com o Espírito que as move, estamos nos condenando às rupturas relacionais próprias do enrijecimento das nossas posições. A Igreja não pode ser transformada num organismo refém da organização, pois deixaria de ser a Igreja de Cristo. Para garantir esta constante capacidade de se movimentar, a Igreja precisa preservar sua Flexibilidade. Esta Flexibilidade, por sua vez, só é possível se forem firmados e preservados os vínculos e ligações entre as partes. Como em um corpo onde os tendões, nervos e músculos é que tornam o movimento possível, na Igreja são os compromissos assumidos, os relacionamentos bem cuidados é que vão garantir a superação das tensões próprias dos seus movimentos.

 

Para reflexão: Enumere algumas coisas que podem comprometer a Flexibilidade da Igreja.

 

REVISÃO.

7º Dia – Cresçamos em tudo.

Efésios 4:14 – “Mas, seguindo a Verdade em Amor, cresçamos em tudo, Naquele que é O Cabeça, Cristo”.

Lucas 2:52 – “E crescia Jesus em sabedoria, estatura e graça diante de Deus e dos homens”.

 

Sendo um Organismo Vivo, a Igreja de Cristo está sobrenaturalmente dotada de todas as condições necessárias para crescer em todas as áreas da sua vida. A figura de Jesus – homem ilustra este crescimento. Ele crescia em Sabedoria, Graça e Estatura diante de Deus e dos homens. Quando o médico Lucas fez esta observação, registrou a condição saudável do desenvolvimento de Jesus. Crescimento ordenado e constante indica saúde, e com a Igreja não é diferente.

 

Portanto, a Igreja está capacitada a crescer em Sabedoria – a Consciência de Quem Deus é. Conhecimento, Temor de Deus é o princípio de toda Sabedoria. A convicção de Ele é o Senhor Soberano da vida e da história. A certeza de que nada escapa à Sua potente mão, e de que ninguém pode contra a Sua Vontade, para que possamos resistir às investidas de Satanás. Está Capacitada a crescer na Graça – a Consciência da Natureza de Deus comunicada a nós em Cristo. O entendimento transformado e exercitado, para que saibamos quem somos como expressão visível de Deus na terra. A Graça que nos capacita a Amar como Ele nos amou. Éramos filhos da ira, andando segundo o espírito da desobediência, debaixo do jugo da cobiça, fazendo tudo conforme nossos desejos e vaidade. Mas, agora, transportados para o Reino do Filho do Amor de Deus sabemos da importância que as pessoas têm para Ele e, portanto, para nós. O Espírito de Cristo nos capacita a viver conforme a suficiência desta Graça, manifestando aos outros o Amor de Deus por eles, através dos Seus dons em nós. Dons que só têm sentido quando usados conforme a natureza que os gerou e concedeu – o Amor de Deus. Capacitada, também, a crescer em Estatura - a Consciência de quem somos como Família de Deus na terra, e da possibilidade de nos multiplicarmos enchendo a terra de filhos de Deus. O desenvolvimento de nossas habilidades, para ocupar nosso espaço no mundo, influenciando e libertando aqueles que ainda estão presos à sua ignorância. Certos de que podemos expandir as fronteiras da nossa atuação, possuindo as nações para Deus pela manifestação do Seu Reino. Assim, pode conciliar coisas aparentemente inconciliáveis: Qualidade (Edificação) e Quantidade (Aumento).

 

A Igreja - O Corpo Vivo de Cristo, segundo a exclusiva orientação do Espírito Santo de Deus, movendo-se sobre a terra, superando as tenções próprias deste movimento, pela preservação das suas ligações e relações, cresce em tudo. Cresce na consciência de Deus, de si mesma e dos outros. Cresce em Maturidade e em Número.